25.3.09

Entre o Céu e a Terra há um espaço percorrido pelos seres humanos, nas distâncias que cavam entre si, inquietantes por vezes. Neste trilho, onde por vezes se estabelece vácuo , isolando como ilhas, aqueles que somos ditando presentes e futuros e jogando o valor real do sentido da vida.
Nós que do nada inventamos tudo, corremos o risco, de acabar com tudo.
Cada vez mais distantes do Céu e afastadíssimos da Terra, flutuamos na ausência de sentido e divorciamo-nos da nossa própria interioridade.
Terra de ninguém, oca de poesia, de verdade e de sentido.