1.10.08




Há dias que não passam no quotidiano de cada um de nós. Há dias que ficam. Sábado 27 de Setembro ficou com o Pedro o maestro das palavras certas, duras e doces.O homem grande chorou ao dizer quanto amava a Manela. Frágil de aparência mais parece uma sinfonia como a das ondas que se batem contra as rochas.
estive lá testemunhando o amor deles, numa tarde única e inesquecível.
Obrigada por me terem permitido fazer parte desse fabuloso grupo de amigos. Afinal não é difícil, encontrar pessoas.....assim, pessoas.